Evento discute os desafios das editoras não hegemônicas com lançamento da Coleção Galo Branco

capa

Na próxima quarta-feira, 25, a partir das 19h, acontece em São Carlos, no Auditório da Educação Especial (Atrás do Departamento de Letras), da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), uma mesa de debate que discutirá “Os desafios das editoras não-hegemônicas: da invenção à circulação dos livros” com a participação dos editores Ana Penteado (Ed. Urutau) e Tiago Rendelli (Ed. Urutau) e mediação de Luciana Salazar Salgado (UFSCar).

Serão emitidos certificados aos participantes.

Além do debate, o evento terá também o Lançamento/Sarau da Coleção Galo Branco de literatura contemporânea, publicada pela Editora Medita neste ano de 2015 com recursos do PROAC. 

Estarão presentes os sete livros que integram a Coleção:

“Espanto”- Pedro Spigolon, fotografias de Pedro Spagnol
“Espelho d’água” – Sarah Valle, Ilustrado por Natália Gregorini
“Silenciosa Maneira” – Jefferson Dias
“Pluma e Imensidão” – Augusto Meneghin
“Azulázio” – Anderson Kaltner
“As chaves de Buco” – Danilo Carandina
“Arisca”, de Ana Julia Carvalheiro

O evento está sendo realizado pelo Fórum de debates & Quartas de bolso. Mais informações no evento criado no facebook. 

Anúncios

‘Silenciosa maneira’, de Jefferson Dias, será lançado em São Carlos com homenagem a Herberto Helder

11698678_626764177426810_7596125281760283051_n“Silenciosa maneira”, de Jefferson Dias, o terceiro livro da coleção Galo Branco, que está sendo publicada pela Editora Medita com recursos do ProAC, será lançado no próximo dia 19 de agosto, quarta-feira, no Teatro de Bolso da Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR), a partir das 17h.

Além do lançamento do livro, que estará sendo vendido no dia pelo valor de R$ 10,00, o evento terá um recital e uma homenagem ao poeta português Herberto Helder, importante influência para o livro de Jefferson Dias. Em Herberto Helder, Jefferson parece buscar o universo da mitologia edipiana e da imagem da mãe, que atravessa de forma mais expressiva a segunda parte de “Silenciosa Maneira”, sendo o poeta português citado literalmente em um dos poemas.

240px-Herberto_Helder
Herberto Helder

Além de Herberto Helder, “Silenciosa maneira” traz ecos de Augusto dos Anjos, percebidos seja na expansão de imagens de dor, horror e morte, seja em um vocabulário que nos fala de cancro, mênstruo, esperma, leite, cuspe e gangrena, com um gosto pela anormalidade que se revela poética. Um livro inicialmente difícil e perturbador, nele sobretudo há tensões entre materialidade e metafísica, entre festins e solidão, entre o poeta – esse ser dos paradoxos – e o poema – esta fantasmagoria – entre o eu e o outro. Justamente é o poema outro grande personagem deste livro ensurdecedor em seu silêncio que combina momentos de sensualidade com lampejos espirituais, uma melancolia contínua e uma sutil reverberação da vida.

Jefferson Dias nasceu em Monte Sião, Minas Gerais, em 1990. Mudou-se bem logo para Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, onde reside até hoje. Concluiu no ano de 2014 o curso de Letras da Universidade Federal de São Carlos; debruçou-se, em seu trabalho de conclusão de curso, sobre a montagem do poema “Húmus” (1966), empreendida pelo poeta lusitano Herberto Helder, a partir do romance homônimo (1926) do também português Raul Brandão. Publicou, em 2013, pela editora Multifoco (Rio de Janeiro-RJ), o livro de poemas Último Festim. Em 2014 teve o poema “Dédalo” publicado na segunda edição da revista euOnça (editora Medita, Campinas-SP). Além de “Silenciosa maneira”, escreveu Qualquer Lugar (poesia, inédito) e Sonata do Diabo (romance, inédito). Mantém um site onde publica alguns de seus textos.

487943_490606757691145_836771090_n
Jefferson Dias

Financiada pelo Edital nº 34/2014 do Programa de Ação Cultural “Concurso de Apoio a Projetos de Publicação de Livros – Coleção de Obras Inéditas – no Estado de São Paulo”, a coleção Galo Branco imprimirá, ao longo de 2015, 10.500 livros, divididos em 7 títulos inéditos. Os lançamentos serão realizados até dezembro em cinco cidades do interior do estado de São Paulo. São várias as vozes que compõem a polifonia dessa coleção: Pedro Spigolon, Sarah Valle, Augusto Meneghin, Ana Júlia Carvalheiro, Jefferson Dias, Anderson Kaltner e Danilo Carandina.

O lançamento tem entrada gratuita e é aberto ao público em geral. Os dois livros já lançados pela coleção Galo Branco, “Espanto”, de Pedro Spigolon, e “O Espelho d´água”, de Sarah Valle, também estarão à venda, os dois por R$ 15,00. Mais informações na página do evento no facebook.

Dizer o acaso – dizer a vida –, mas dizer.
Inventar os arranjos, dizer os rostos,
Fermentar os ossos do poema, revelá-los simples:

Toda a hipocondria – arranjo repleto geral,
Outro poema: cavalos quebrados –
E toda a ternura, a carne do gesto.

A cabeça da palavra: Herberto Helder
Qual uma península na dança.

[…]

(trecho do poema “Arranjos”, p. 37)

Coleção Galo Branco